quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

honestidade e comoção

ontem ao fim do dia, quando fui buscar o zizo à escola:

a professora de expressão musical/dramática pediu para falar comigo, com ar apreensivo (que inicialmente me deixou preocupada).
O motivo era um pedido de desculpas por ter retirado o z do papel principal da peça de natal da escola, devido a um comportamento que ela interpretou como sendo de afronta e má educação (devido à sua hipersensibilidade auditiva, há ruídos que não suporta e, como a música estava muito alta para ele, começou a bater com a caneta na garrafa da água metálica sem parar, para tentar anular o som alto da música).
mas agora que já tinha percebido que ele é um menino  com uma sensibilidade diferente dos demais e que já começava a saber como lidar com ele, percebera que tinha sido injusta e sentia-se triste e incomodada com isso. o mais curioso é que foi o próprio z que a começou a conquistar aos bocadinhos ao mostrar todo o entusiasmo que tem nas suas aulas e como se sente feliz. inclusivamente mostrou-se emocionada por, um destes dias, o z lhe ter tocado num braço e dito, olhos nos olhos e com toda a pureza do seu coração:  “és a melhor professora que eu já tive na vida!”
disse-me ainda que o considera um menino com imensas capacidades, que muitas vezes fica boquiaberta com o que lhe diz e como o diz e, ainda, que gosta muito dele e que em tudo o que puder o irá ajudar.
e ao escutar isto, emocionada fiquei eu. e sei que ganhei uma aliada, na escola, e que o meu filho, com ela, estará bem e seguro, porque tem ali alguém que conquistou por ser como é!
oxalá todos os professores fossem assim...

1 comentário:

togetheryouandme disse...

Até que enfim que alguém o percebeu :) Até eu fiquei de lágrima no olho agora... e de orgulho!